Tudo Conta…

Mais uma segunda-feira, mais um post como não podia deixar de ser. Sejam bem-vindos a esta segunda-feira e ao nosso blog novamente.

Esta semana estou cá para vos falar de algo que pode ser bastante pertinente para alguns de vocês principalmente os leitores que nos acompanham de além fronteiras. Reparei ao longo dos tempos que esta dica me poupou imenso dinheiro. Pouco a pouco, bago a bago vamos amealhando e curtindo nos custos e tudo isso contribui para uma “saúde” financeira mais de acordo com as nossas expectativas.

A semana passada vimos que apesar de não nos apercebermos vários dos nossos tão suados euros jogam a favor de empresas que beneficiam com a nossa falta de disponibilidade financeira imediata. Além dessas empresas temos também  instituições consideradas imprescindíveis que fazem exatamente o mesmo. Falo-vos do vosso banco. Exatamente meus caros, hoje em dia o banco que escolhemos tem imensa influência no vosso balanço.

Há imensos bancos nacionais por onde escolher hoje em dia mas, campanhas publicitárias à parte, temos de ter muito cuidado quando optamos por um banco. Há imensos factores que podem influenciar a nossa escolha mas eu vou dar-vos umas dicas ao que devem ter em atenção se forem abrir uma nova conta.

Antes de mais nada façam uma pequena pesquisa sobre o banco e tentem ver qual a situação do banco. Com tudo o que se tem passado em Portugal nos últimos tempos é aconselhável saber se o banco tem lucros, se precisa de injecções de capital por parte do estado ou se simplesmente se mantém à deriva. Passando esta fase tentem saber coisas simples como por exemplo:

  • Custos de manutenção de conta;
  • Custos com cartão;
  • Transações entre contas nacionais e internacionais.

Todas estes pontos são imensamente importantes. Se não tomarmos atenção a estes factores podemos estar a olhar a uma despesa bastante grande sem qualquer tipo de necessidade. Falo-vos do meus caso em específico onde a minha conta tinha um custo mensal superior a 5€, mais 18€/ano para pagar um cartão (só pode ser banhado a ouro para ter este custo) e em cima disto um custo adicional para fazer transferências. Tudo isto pode parecer muito pouco, mas se somarem tudo ao final do ano podem estar a olhar a uma despesa bem boa que talvez fosse o suficiente para vos pagar o seguro do carro…

Cheap-Car-Insurance-with-No-Down-Payment

Para evitar todo este tipo de despesas o vosso Mr. W pesquisou bastante e acabou por se deparar com duas soluções muito boas e especialmente vantajosas para quem recebe ou envia dinheiro para o estrangeiro. Estas suas soluções são o Revolut e o N26. Tenho conta em qualquer uma destas instituições e posso-vos dizer que não podia estar mais satisfeito. Estas empresas apresentam soluções bastante distintas mas qualquer uma delas bastante vantajosa. O N26 sendo um banco propriamente dito tem soluções de investimento, contas a prazo e, obviamente, uma conta à ordem sem custos adicionais. Apesar desta ser uma solução muito boa, na minha opinião, o Revolut é algo absolutamente revolucionário.

Com o Revolut temos infinitas possibilidades. Chamam-lhe o cartão do viajante…e deixem-me dizer-vos que é muito mais que isso. Para abrir-mos uma conta no Revolut precisamos apesar de fazer o download da app no telemóvel e seguir os simples passos que eles nos pedem. Numa questão de 5 minutos temos uma conta bancária operacional e tudo a custo zero. O único custo que temos com esta operação é a de fazer um depósito inicial de 10€ em que cinco servem para pagar o cartão e….voilà. Adeus custos com transferências, adeus custos de manutenção e (para os nossos leitores viajantes ou a trabalhar no estrangeiro) adeus custos com conversão de moeda.

Não vos consigo dizer a quantidade de dinheiro que este cartão já me poupou com esta última modalidade isto porque quando abrimos uma conta podemos escolher com que moeda queremos abrir. Sejam libras, euros, dólares, dólares canadianos, xelins, etc…Temos todas as moedas dentro de um cartão apenas. Quando quisermos alterar de uma moeda para a outra basta apenas fazer a conversão (a custo zero) e transferir para a nossa conta. Mais simples que isto seria impossível.

Depois de criar conta com estas instituições os bancos parecem-me coisas do passado. Preencher papelada, deslocarmo-nos ao banco para apresentar documentos, pagar para levantar ou receber o nosso próprio dinheiro? Vivemos numa era diferente meus amigos, e os bancos continuam a funcionar no século passado.

11-bi-NF-e-Unimake___

Façam favor de dar uma saltada a estes sites e comecem a promover a inteligência financeira. Todos os euros contam…

Revolut: https://www.revolut.com/?lang=en

N26: https://www.n26.com/en-de/

Espero que com todas estas dicas sobre poupança consigam fazer uma melhor gestão do vosso capital e que com isto cheguem aos vossos objectivos.

Um bem haja do vosso Mr. W e até daqui a uma semana.

Mr. W

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s