Poupança – Copo meio cheio ou meio vazio

PayYourselfFirst1

Pay yourself first

A primeira vez que X tomou conhecimento com este conceito foi através do livro Rich Dad Poor Dad de Robert Kiyosaki, em que o autor sugere que devemos pagar-nos a nos próprios antes de pagar qualquer outra despesa, sejam as contas da casa, essenciais para assegurar as necessidades básicas de uma pessoa ou qualquer gasto supérfluo. Desta forma o autor sugere que se um individuo se pagar a si mesmo primeiro (leia-se poupe) e o dinheiro não for suficiente para lidar com as despesas básicas do mês, este facto irá motivar o individuo a aumentar os seus rendimentos, de modo a conseguir poupar o que pretende e manter o nível de vida que ambiciona, ou individuo irá passar dificuldades.

Para X o conceito é interessante, mas também um pouco exagerado. Vamos por partes: X sempre foi um grande apologista da poupança, e considera que se paga a si primeiro, mas tendo em conta o rendimento disponível.

A titulo de exemplo, digamos que o individuo X ganha 1000€ por mês e tem gastos de 500€ relativos a despesas básicas (casa, agua, luz, alimentação, etc), sobrando lhe 500€ mensais. Estes 500€, na opinião de X deverão ser divididos em, digamos 400€ para poupança e 100€ para gastos extra ou supérfluos, que dêem prazer ao individuo X.

Para X, o mais importante é assegurar que as necessidades básicas estão asseguradas. Após este objectivo estar cumprido, X acredita que se deve poupar agressivamente, de modo a tentar assegurar, um dia mais tarde, um estilo de vida mais confortável. A clássica antítese do “viver rápido e morrer jovem”.

Para X, obviamente que a qualidade de vida é importantíssima, e não deve ser sacrificada a 100%. Deve sim existir um equilíbrio entre o presente e o futuro, de modo a que ambos estejam assegurados.


Filosofias à parte, gostaria de desafiar os leitores a pouparem. A pouparem mais. A pouparem MUITO MAIS!!!!!!!

Tentem poupar pelo menos 10% do vosso ordenado, seja 500€ ou 50.000€ mensais. Fujam de cartões de crédito e do crédito ao consumo tanto quanto possam porque os juros suportados encarecem imenso o que se esteja a comprar, além da depreciação e/ou desvalorização do bem comprado (salvo talvez a única excepção do crédito  habitação).

Poupar é difícil para todos, e mais ainda para quem tem baixos rendimentos, mas se queremos enriquecer temos que fazer por isso. Se o orçamento não estica, reduzam um bocadinho o estilo de vida, seja através da eliminação de despesas não essenciais, comprando um carro mais modesto, cortando uma ou outra jantarada ou noite de copos, ou mesmo mudando para um apartamento mais em conta.

Posso estar a ser um pouco duro, mas se queremos atingir a independência financeira temos que lutar por ela, e infelizmente na maior parte dos casos, isto implica sacrifícios.

Poupem 10% do vosso ordenado, ou mais se puderem e conseguirem, mas estabeleçamos os 10% como o mínimo dos mínimos para formar um bolo que nos alimentara um dia mais tarde. Com o dinheiro poupado, invistam onde quiserem, mas invistam! Nem que seja num deposito a prazo com 0,5% de juros, com tempo instruam-se (criamos este blog para ajudar o máximo numero de pessoas possível a aumentarem a sua cultura financeira) e apliquem o vosso dinheiro de melhor forma e facam-no crescer tanto quanto possível. Estou certo que este é o caminho para a independência financeira.

E que o caminho façamos juntos,

X

Publicado por

Senhor X

Mais uma pessoa aleatória a tentar vingar na vida, ambicionando a independência financeira o quanto antes!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s