Como Investir #4 Na Mintos

Já te perguntaste se há alternativas para investir sem ser em Portugal e de fácil acesso? Ora aqui está uma sugestão! É uma plataforma de empréstimos à imagem da Raize mas com particularidades. Queres saber mais sobre a Mintos? Então vem daí!

Seguindo a tendência dos últimos posts, venho apresentar mais uma ideia para investires o teu dinheiro e vê-lo fermentar e crescer!

Comecemos pelo básico: O que é a Mintos?

A Mintos é uma plataforma que, fazendo sempre o paralelismo com a Raize (ver este artigo), junta quem tem dinheiro e quem quer dinheiro num só sitio. Aqui temos só uma pequena diferença na parte do “quem” quer dinheiro. Há empresas por esse mundo fora cujo negócio é emprestar dinheiro a pessoas para os mais diversificados fins: créditos pessoais, créditos para comprar carros, casas, empréstimos para fazer crescer negócios, etc. Estas empresas para poder sustentar o seu negócio têm que por sua vez ir buscar o dinheiro a algum lado, porque é melhor negócio não ter que ter o dinheiro todo nos cofres.

Com isto já estás a ver onde entra a Mintos!

É verdade, essas empresas usam a Mintos como intermediário para permitir obter o dinheiro que lhes permite fazer negócio. E nós como investidores, usamos a Mintos como intermediário para utilizarem o nosso dinheiro em empréstimos individualmente (podemos escolher a pessoa!) e termos um critério para ceder o nosso dinheiro. Com estes empréstimos, e tendo em conta que ficamos sem ver o nosso dinheiro durante algum tempo (que é variável) ganhamos uns juros por isso. Estes juros podem ser cerca de 12% ao ano (1% ao mês!)

Got it! Então como é que faço para utilizar a Mintos?

Como em todo o lado, crias uma conta no site (fica aqui um referal para que tenhas um bónus), metes os teus dados conforme te vão pedindo e fazes a primeira transferência. A primeira transferência não tem um mínimo definido e tem de vir de uma conta em teu nome, contudo o mínimo de valor para os investimentos é de 10€ (se for esta a tua moeda). Para fazeres o teu primeiro investimento podes ir ao mercado primário, ao mercado secundário, utilizar auto-invest (uma espécie de “Tracker” com um toque mais personalizado) e o “Invest and Access” que é uma nova ferramenta e é óptimo para quem não quer pensar muito para onde vai o dinheiro.

Ui! Esta plataforma tem mais umas coisas! Como é que escolho?

Eu sabia que ias perguntar isso! Resumidamente: Mercado primário é onde estão os empréstimos fresquinhos, ou seja, os que ainda estão numa primeira ronda para angariar investidores. Mercado secundário é onde estão à venda os empréstimos em “segunda mão”, ou seja, alguém investiu neles e por alguma razão quer ter o dinheiro de volta no bolso e vende a quem queira. O Auto-invest é onde defines um montante máximo e uns critérios de investimento (taxas de retorno, empresa, tipo de empréstimo, moeda, prazo do empréstimo, etc) e a Mintos faz os investimentos por ti quando tens dinheiro e os teus critérios são cumpridos. O Invest and Access como disse acima, é uma ferramenta automática como o Tracker da Raize.

E impostos? Como é de impostos?

Ui! De uma forma muito simples, a Mintos por não ser portuguesa não faz retenção na fonte nem te aplica nenhuma taxa por coisa nenhuma (nem pelo o serviço deles). A única coisa que eles fazem é emitir uma declaração das tuas mais valias (se pedires) do ano anterior. O acto de declarares às finanças o que ganhaste é da tua responsabilidade e um dever como cidadão português (se for esse o caso) e há um espaço na declaração de IRS para isso. Portanto a taxa a que as tuas mais valias na Mintos estão sujeitas é 28% à taxa liberatória, ou, se decidires englobar as mais valias (opção na declaração de IRS) é como se fosse parte do teu ordenado e é tudo contabilizado como um bolo.

E quais são os riscos que corremos?

Como em tudo na vida, os riscos são variados mas podem ser controlados. Ora vejamos, o risco mais comum nestas plataformas é o atraso nos pagamentos dos empréstimos por parte das pessoas que os contraem. Estes atrasos podem não ser problemáticos e serem recuperados rapidamente. Caso o atraso seja superior a 60 dias, o empréstimo entra em “default”, significando má cobrança. Aqui tens duas hipóteses, ou perdes o dinheiro todo e esperas que alguém consiga recuperar por ti, OU, o empréstimo que seleccionaste tem “buyback guarantee” que significa que a empresa que gerou o empréstimo para ti vai-te comprar de volta o dito cujo e não perdes nada (também não ganhas), sem ser tempo.

Outro risco que pode ocorrer é se as empresas que originam o empréstimo para investires forem à falência, que pode acontecer. Aí nem o buyback te safa e pode tornar-se bastante complicado veres o teu dinheiro de volta. A Mintos orgulha-se de dizer que faz uma análise profunda das empresas com quem trabalha e monitoriza a atividade das mesmas para garantir a segurança dos investidores. Vale o que vale. Para ficares sossegad@ basta não pores os teus empréstimos todos no mesmo sitio, diversificação é a palavra-chave.

Finalmente, no caso mais catastrófico, a Mintos vai à viola! Nesse caso só te resta rezar porque o processo de insolvência e de devolução de capital é feito por um escritório de advogados especializados e TALVEZ um dia no futuro vejas uma parte do dinheiro. A Mintos para garantir que caso um dia isto aconteça os investidores consigam ver o seu dinheiro de volta, guarda todos os meses uma cópia dos dados de toda a gente nesse mesmo escritório de advogados. Por outro lado a Mintos é a maior plataforma do género na Europa e tem beneficiado de um crescimento constante e saudável. Para evitar este risco, bem, não ponham todo o vosso dinheiro na Mintos. That’s it!

Muita informação não é?

Mas é a base de tudo o que precisam de saber sobre esta plataforma. Pessoalmente é uma plataforma que uso e é onde está a maior fatia do meu portefólio até agora. Agrada-me que tenham um mercado bem grande de empréstimos para escolher, agrada-me a facilidade de meter e tirar dinheiro e de o mercado secundário funcionar, e especialmente agrada-me os juros que consegues receber que podem chegar a ser o dobro (!) da Raize. Contudo acho que estou muito exposto aos riscos associados a esta plataforma e não pretendo reforçar mais a minha conta (até porque quero explorar outras formas de investimento).

Deixo só a nota que, na Mintos, só invisto em empréstimos em Euros, com Buyback, que à partida não estejam atrasados quando os “compro” e nunca com um prazo superior a 18 meses #iAmWeirdLikeThat.

Se ao ler este post, e tendo em conta os riscos quiserem experimentar a Mintos e explorar mais um pouco podem utilizar este link que vos dá uns bónus (e a mim também *wink wink*).

Mais uma vez, se me esqueci de alguma coisa ou se queres que esclareça mais alguma coisa,  deixa o teu comentário aqui por baixo, ou no nosso Facebook (e deixem um gosto!) ou mesmo no nosso canal de Youtube! (não se esqueçam de subscrever).

Até lá,

Z

 

2 opiniões sobre “Como Investir #4 Na Mintos”

  1. Obrigado! Acho que fazes bem! A razão para os 18 meses é só porque não quero ter empréstimos com durações muito grandes. Gosto de rotatividade. É uma questão pessoal. 😉

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s