Como Investir #6 Em Cryptomoedas

Estamos na altura de falar sobre cryptomoedas! Se és verde nisto então este artigo é para ti! Segue daí para saberes o básico do básico de como investir em cryptomoedas. Deixo o aviso: não é para meninos…

Eis que chega o último capítulo da série de posts com origem neste artigo. Sei que já estavas em pulgas para aprender o que é isto das cryptomoedas!

Então o tio explica!

Ah! Se sentem falta do artigo sobre como investir em Ouro, é porque de facto não o escrevi! No entanto este tema foi brilhantemente abordado por X neste post.

Ora bem! Então começando pelo inicio, o que é isto das cryptomoedas? Cryptomoedas (vou-lhes chamar “crypto” para simplificar) são moedas, ou representações de moeda, que são transacionadas através da internet e que usam funções criptográficas para suportar essas transações. Isto significa que as transações utilizam a tecnologia blockchain para não terem a informação toda no mesmo sitio. Com isto aumenta a segurança, a transparência e não permite aldrabices nas transações, essencialmente.

Isto como são moedas, têm de servir como moeda, por isso mesmo é possível comprar coisas com, por exemplo, uma das moedas mais famosas, a Bitcoin. As transações com crypto são feitas com o mínimo de custos ao contrário de alguns sistemas mais “tradicionais” (já a mandar uma facada ao aumento do custo de transferências bancárias previstas para Janeiro de 2020!).

Atualmente tens diversas crypto que podes usar, comprar e vender. As mais trasacionadas são Bitcoin, Tether, Eutherium, Litecoin, EOS, e XRP.

Existe uma imensidão de moedas!

Muitas funcionam de forma semelhante, outras têm uma base de valorização ligeiramente diferente, mas o que as distingue das moedas que usas no dia-a-dia é que estas moedas têm uma quantidade finita. Ou seja, assim que tivermos as moedas todas em circulação (que é impossível visto ser cada vez mais difícil “minar”) não dá para criar mais (!), como fazem os bancos. Esta “finitude” é uma das razões que levam muitos a acreditar que as crypto serão a moeda do futuro caso as economias mundiais continuarem a imprimir dinheiro e colapsem por isso. Mas para já, nada de alarmismos neste blog!

Feita a introdução ao tema (de forma imensamente leve, devo dizer), vamos ao que interessa:

Como é que eu posso investir nisto?

De uma forma simples: basta comprares e venderes a moeda da mesma forma que compras e vendes moedas de outros países quando vais viajar. Mas vá, não dá para ir ao multibanco, nem dá para ir aos indianos trocar dinheiro.

Passo a explicar. Como é uma moeda que vive na internet, precisas de ter uma carteira própria. Esta carteira pode ser de várias formas e essencialmente é um sitio onde tens guardada uma “chave” privada e uma “chave” pública e algumas outras informações para interagires com a blockchain da tua moeda de escolha. O teu perfil de investidor também terá aqui um papel na escolha. Mas para já não vou complicar muito mais isto.

Continuando: Para investires em crypto a forma mais simples será criares uma conta numa “corretora” que te permita a compra e venda da tua moeda de escolha. Por exemplo tens a Coinbase que é especializada em crypto, podes usar a tua conta de Revolut que tem essa opção, ou outra plataforma, como a XTB que tem um pouco de tudo, incluindo crypto. A escolha de plataformas, na minha opinião deverá ser feita com base nas comissões, portanto ler bem os preçários minha gente! De resto é só trocares o teu dinheiro “verdadeiro” por crypto quando ela está em baixa e vender quando está em alta. That’s it! Já está! Até logo!

Calma, calma, calma!

Isto não era um post do Z se não te falasse dos riscos e dos impostos não é verdade?!

Riscos – As crypto são muito voláteis, significa que os preços podem oscilar estrondosamente depressa, pior que isso, às vezes nem se percebe bem porquê. Podem subir por euforia em massa (vide Bitcoin de Setembro a Dezembro de 2017) ou mesmo manipulação de preços, e podem cair a pique por pânico geral (vide Bitcoin após Dezembro de 2017). É nestas descidas e subidas que se faz dinheiro rapidamente (ou perde-se rapidamente), mas de uma forma geral ainda se está a tentar perceber o lugar das crypto no mercado financeiro para o comum dos mortais e diria que é melhor aguardar para ver. Se és uma pessoa já muito versada nesta matéria e tens a certeza que a tua crypto de eleição “é que vai ser”, então força nisso! Mas considera bem os riscos. Se por outro lado não percebes um bacalhau mas estás tentad@ a usar isto para enriquecer, não o faças, just don’t. Vai comprar raspadinhas.

Impostos – Se és um profissional do trading e tens ganhos consistentes e já percebeste como o mercado oscila nas crypto e sabes o que faz mover os graficos para cima e para baixo, então a nível de impostos a fiscalidade das crypto não tem qualquer enquadramento legal em Portugal, mas a Autoridade Tributária, indica que os rendimentos auferidos com estas moedas deve ser tributada em sede de IRS. Os redimentos! Ou seja, se o vosso patrão vos paga em crypto, pagam impostos. As mais valias da compra e venda de moeda, não.

E é isto! Espero que tenhas gostado e que tenhas ficado a perceber um pouco do que é isto das cryptomoedas. Para a semana trago outro tema.

Até lá,

Z

Não se esqueçam de nos seguir no Facebook e subscrever o nosso canal do YouTube para ouvirem os nossos podcasts!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s