O Viajante Financeiramente Literado

Numa altura em que ir de férias e fazer escapadinhas virou moda, o que é que isso significa para a nossa carteira? Vou dissertar sobre o assunto e dar algumas sugestões que deves ter atenção para não ficares nas “lonas”.

Nestas duas semanas tive a feliz oportunidade de fazer algo que adoro, viajar. E ao que me parece muita gente, próxima, aproveitou para fazer o mesmo. É perfeitamente compreensível visto que temos um feriado a uma sexta-feira e os preços das viagens estão bastante acessíveis nestas datas. No entanto gostaria de reflectir um pouco sobre… dinheiro! (não estavas nada à espera pois não?) E alguns truques que acho serem essenciais para quem gosta de viajar não ficar com um grande buraco na carteira.

O que significa, antes de mais, que tens viagem cada vez mais baratas à tua disposição? Primeiro, que podes passear mais e ficar com mais dinheiro disponível para poupar ou para os teus investimentos. Isto é bom não é?! Sim, mas tens de ter atenção a algumas coisas para não te deixares entusiasmar com a mudança de “cenário” que te leva a abandonar todas as práticas de poupança e sensatez financeira.

Não nos devemos esquecer do básico:

Faz um orçamento! Vê quanto podes gastar, planeia bem as tuas despesas e onde é que pretendes gastar o teu dinheiro. Essencialmente, trata o teu “dinheiro das férias” como o teu dinheiro do dia-a-dia (espantoso certo?!) Para fazeres esse orçamento podes fazer uma folha de cálculo ou usar a que partilhei neste artigo que também dá para fazer isso.

A seguir a parte gira:

Viagens! Acredito que esta seja fácil para ti: Comprar com antecedência! Todos sabemos que se queres viajar de avião (ou comboio e autocarro) deves comprar com antecedência. Uma regra que eu sigo para isto é comprar até 3 meses antes, porque a partir desta data os preços começam a subir. E sei disto por experiência própria.

Se comprares viagens on-line, então é obrigatório que procures as tarifas com o modo oculto no teu browser. Acredita, se pesquisas por viagens de forma recorrente para o mesmo destino e datas e não apagas os cookies de navegação, garanto-te que os preços vão aumentar de dia para dia! Isto faz parte de uma estratégia de criar ansiedade para quem está indeciso sobre se deve ou não comprar a viagem. Por isso, sempre em modo oculto (válido para estadias também).

Se usas os sites agregadores de viagens, não sigas cegamente os preços que te indicam, por fazerem muito marketing que são os mais baratos. Estes sites são ótimos para saber escalas, horários e uma estimativa de preços, mas, por experiência acabo sempre por ir ao site da própria companhia aérea por ser mais barato para as mesmas condições.

De um básico para outro mais avançado:

Estadias! Apesar de ser verdade ser útil ter atenção à antecedência da reserva, algo que pode valer ou não a pena é a localização e o pequeno almoço. A localização mais afastada dos pontos de interesse normalmente é mais barata, mas se tiveres que gastar dinheiro em transportes, poderá valer a pena uma estadia mais próxima que não seja necessário transportes. Quanto ao pequeno almoço, se for só umas torradas e um café com leite, pode não valer a pena, mas por pequeno-almoço continental poupas no almoço se comeres bem. Da mesma forma que fazes para as viagens, podes comparar os preços dos agregadores com o site do próprio hotel/hostel/Airbnb. Sim, porque muitos negócios de cadeias de hotelaria também publicam no Airbnb.

Agora a parte que nos deixa a babar:

Comida! Se viajas com o intuito de aproveitar e mesmo assim poupar dinheiro, então a tua melhor opção é ir para um sitio que dê para cozinhar. Eu percebo que queiras ir experimentar a cozinha local e provar aqueles doces maravilhosos que viste numa qualquer montra quando caminhavas de um lado par ao outro. E deves ir! Mas será que precisas de ir comer fora todos os dias? Comprar os ingredientes num supermercado e cozinhar é de longe a melhor forma de poupar dinheiro numa categoria que pode facilmente representar um terço de todo o dinheiro que gastas em viagem. Além disso não há desculpas, os hostels geralmente têm cozinha funcional e disponível para os hospedes. E os Airbnbs de uma forma geral também.

E finalmente se vais para fora do país:

Pagamentos! Se fores para um país que usa o Euro, não precisas de fazer câmbios, mas mesmo assim pagas uma belas taxas quando usas o cartão do teu banco. Se fores para países que não usem o Euro, então aí as taxas e os câmbios não são de todo usados para nos fazer poupar dinheiro, mas sim para dar margem aos bancos. As conversões são confusas, as taxas são enormes e os impostos de selo sobre as comissões são, para mim, uma coisa abominável. Podes sempre optar por fazer câmbios ou levantamento de quantias “enormes” de dinheiro, mas andar com os bolsos cheios de dinheiro é coisa do passado. Solução para isto, para mim, foi a utilização do Revolut. É uma espécie de conta bancária sem nação definida. Tem uma app bastante boa, consegues em qualquer altura ver os movimentos da tua conta e as transações em qualquer país são… isentas de comissão! E a cereja no topo do bolo é que as taxas de conversão são as taxas que existem no momento (que podes verificar na própria app).

Verdade que há outros fornecedores destas contas “bancárias” como o N26, Curve,  Tranferwise, etc (só para não dizerem que tenho patrocínio) e para cada pessoa pode ser melhor usar outro serviço. Mas para mim o Revolut revelou-se um cartão fiável, transparente e muito útil! Além de me ter feito poupar vários euros em comissões. Já agora, se tiveres interessad@ em pedir um, fica o link para pedires um cartão grátis. E claro que podes usar no teu dia-a-dia (eu uso!)

Finalmente:

Viaja com companhia! Solo travelling é uma experiência maravilhosa e conheces muita gente só pelo facto de estares sozinh@. Mas se queres poupar uns trocos, viaja com companhia! Dividir estadias, transferes, alugueres de carro (se tiver mesmo de ser e não houver transportes públicos) combustíveis, etc. fica mais barato. Além disso se cozinhares, fica mais em conta e podes sempre ir rodando quem faz o jantar (para poupar e descansar!)

E assim chego ao fim desta minha pseudo reflexão sobre os cuidados a ter  nas viagens para não irmos à bancarrota e mesmo assim aproveitar uma maravilhosa experiência. Se tens mais sugestões de coisas que se deva fazer numa viagem para poupar dinheiro, escreve aí nos comentários porque creio que vamos todos querer saber! *wink wink*.

Para a semana há mais.

Até lá,

Z

Não se esqueçam de nos seguir no Facebook e subscrever o nosso canal do YouTube para ouvirem os nossos podcasts!

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s